HISTÓRICO DA ABERTURA E INAUGURAÇÃO DA ESTRADA DE FERRO- 1910


Na última década do século XIX o então, presidente da Província de São Pedro do Rio Grande do Sul, Júlio de Castilhos, assumiu o compromisso de criar uma estrada ferroviária ligando Caxias ao restante da província. A implementação da ferrovia aconteceu durante o governo de Borges de Medeiros. O projeto inicial previa a extensão da linha entre Porto Alegre e Novo Hamburgo, mas o traçado foi alterado visando uma maior abrangência da zona colonial italiana,. Em 1905 foi assinado o contrato entre a empresa belga, arrendatária de quase todas as ferrovias brasileiras: Compagnie Auxiliare de Chemins de Fèr au Brèsil e a empreiteira,Empresa Oppitz & Gomes, formada por apenas doissócios: o engenheiro austríaco, naturalizado brasileiro, Fernado Opptiz e o espanhol Constantino Gomes. Em1908 foi construído o prédio da estação de passageiros.O ramal ferroviário foi inaugurado em 1 de Junho de 1910.













Operários e técnicos trabalhando na construção da estrada ferro Caxias Montenegro Ano, 1909 primeiro a esquerda da foto, Albano Coelho de Souza e em sua frente seu filho, Engenheiro agrônomo Leônidas Coelho de Souza que trabalhou na construção da estrada de ferro, de 1905 até 31 de Janeiro de 1910.


Em primeiro de Junho de 1910 a Vila de Santa Thereza foi elevada a categoria de cidade e passou a se chamar, de forma simplificada, Caxias e já tinha 235 industrias e 186 casas comerciais. Nessa data, além da elevação a categoria de cidade, foi comemorada com muita festa a chegada do primeiro trem.
DOMINGOS MANCUSO
foi o único fotógrafo a registrar em imagens, esse evento.Em 2 de Abril de 1985, Graciema Paternoster Pieruccini, nascida em 1892, relatou a sua lembrança sobre o acontecimento.Na estação tinha bandeirinhas, a banda de música esperava as autoridades e somente um fotógrafo registrou a chegada do trem.
 Domingos Mancuso
capturou as duas imagens em primitivos negativos de vidro, esse feito entrou para a história da fotografia de Caxias. Apenas duas horas depois do clic, um clássico da fotografia caxiense era exposto no Café Marconi. Ninguém soube  explicar como Domingos Mancuso, conseguiu exibir seu troféu em apenas duas horas.












RODRIGO LOPES


SÓ É REPORTER QUEM CONHECE E PRESERVA A HISTÓRIA, relata os fatos presentes conhecendo o passado. Quem tem conhecimento em seu relato. Curiosidade ao investigar peculiaridades, detalhes, datas... e divulga de forma objetiva honesta, real, no compromisso apenas com relação ao fato, a verdade e conhecimento de sua importância no caminho da história. RODRIGO LOPES reúne tudo isso e muito mais, pois exerce sua função com eficiência, conhecimento e, sobretudo, simpatia criando sempre, novas amizades. Quando se fala em passado, História de Caxias, nossa gente, nossas imagens, de imediato nos vem a memória nomes como: Loraine Slomp Giron, Mário Gardelin, Maria Abel Machado, Vania Herédia, João Spadari Adami, Paranhos Antunes e tantos outros. Hoje em dia, ao falarmos em “memórias” de nossa história, de imediato lembramos-nos da agradável imagem de Rodrigo Lopes que, ainda jovem, já assegura seu nome ao rol dos grandes nomes, não somente dos repórteres, mas dos historiadores de Caxias do Sul. O Blog Caxias por Mancuso, presta sua humilde, mas sincera homenagem, ao grande personagem de nosso presente, que relata os fatos e nosso passado, e orgulhamo-nos de nossa participação nessa grande rede de memória, de Rodrigo Lopes, grupo RBS. Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami e dos grandes nomes da fotografia e história de Caxias do Sul.