Mancuso- foto 41- encenação do caso do padre que casou dois homens


Na história de Caxias, um “caso” tornou-se famoso, o do padre que casou dois homens. No início da colonização havia entre os imigrantes vários maçons e carbonários, o que ocasionava alguns conflitos religiosos com os católicos. Antonio Passagi  foi o primeiro capelão da colônia e foi vítima de uma conspiração tramada por seus inimigos. O padre,  ocasionalmente, era meio chegado a se exceder no consumo  de vinho. Aproveitando-se disso, alguns indivíduos armaram uma armadilha para o padre.  Em uma ocasião em um grupo de homens, um se travestiu de mulher vestido de noiva e o outro como noivo, convocaram o padre e esse, em virtude de seu estado, nada notou e realizou o matrimônio. Depois de realizado, a trama foi divulgada e foi somente o padre quem recebeu  castigo. Foi punido pelo Bispo, sendo privado das ordens sagradas, enquanto os verdadeiros culpados nada sofreram.

Alguns anos depois, em 1908 o caso do padre foi usado como motivo de ironia. Na foto uma encenação de um grupo de homens revivendo o casamento realizado pelo padre.
MAN 041
Grupo de homens não identificados fantasiados.
Caxias do Sul, 1908
Fotógrafo: Domingos Mancuso
Acervo Renan C Mancuso